Qualquer gordo tem Blog

16/10/2009

Pauta mole 2

Filed under: Uncategorized — opoderosochofer @ 14:32
Tags: , , , , , ,

bois

Desse jeito ficadifícil convenceras pessoas de que Guarulhos não é interior. Por favor, leitor de Presidente Prudente, Marília, Assis ou Botucatu, algum de vocês já viu uma cena insólita dessa na cidade de vocês? Deve ser alguma ação do vereador Wagner Freitas para promover a volta dos rodeios à cidade.

Anúncios

30/09/2009

Pauta mole

Filed under: Uncategorized — opoderosochofer @ 17:45
Tags: , , , , , ,

Realmente eu queria me desculpar com os jornalistas pelo post anterior. De fato a culpa maior não é do trabalhador, e sim, do órgão de imprensa em que ele trabalha. Sobretudo se for de Guarulhos. Olha só o que foi a manchete de hoje de um importante jornal da 2ª cidade mais populosa do estado:

folha

O pior é que do lado tem a chamada de uma matéria sobre uma ação do Ministério Público contra uma vereadora da cidade. Não duvido nada que ainda essa semana apareça a manchete: “Vovô ganha campeonato de bocha em Guarulhos”.

25/09/2009

Apelou? Chama o Daileon!

“Ética “e “Liberdade de imprensa” são expresões expressões tão raras na boca de jornalista  nas páginas de um jornal quanto “Desculpa” e “Perdão” na de um motoboy alguns motoboys, a menos é claro que esse jornalista tenha sido repreendido no seu “direito” de escrever qualquer besteira sem prestar contas a ninguém. Já não bastasse a Época ter feito uma puta reportagem investigativa só pra não assumir que tomou um trote do Móveis Coloniais de Acaju e ter apelado a tal “Ética” e ao “Respeito” agora foi a vez de um jornal de Guarulhos imitar os grandes e também posar de “ofendidinho”.

Sim amigos. A cidade  que tem um coreto, uma igreja e Bilhete Único tem também uma imprensa local com jornais tipicamente locais mas que fazem lambanças iguais as dos jornais de circulação nacional. A mais recente teve como pano de fundo um protesto organizado pelo Cursinho Comunitário Pimentas (os mesmos responsáveis pelo Sarau Cultural dos Pimentas) no 7 de setembro pedindo a implantação de um curso de Medicina na Unifesp Guarulhos. Não vou entrar no mérito da viabilidade disso porque é assunto pra mais de um post. O caso é que  surpreendentemente o Editor do jornal concordou com a pauta de reinvindicação. Coisa rara um jornal levantar a mesma bandeira de um movimento popular, mas como diz o ditado quando a esmola é demais…

A justificativa do tablóide para defender a presença de um curso de Medicina é o fato de Guarulhos ser um pólo industrial farmacêutico (a Aché e outros laboratórios estão instalads aqui), contudo pra fazer isso colocou em editorial que os cursos como pedagogia, ciências sociais, filosofia e história ministrados na Unifesp Guarulhos são “irrelevantes“. Essa é boa! Quando o presidente era um sociólogo ninguém falava que sociologia era irrelevante.

Não sei o quê que eu vou prestar não. Acho que eu vou fazer masturbação sociológica.

Não sei o quê que eu vou prestar não. Acho que eu vou fazer masturbação sociológica.

Como não podia deixar de ser, os alunos dos cursos “irrelevantes” se manifestaram mandando e-mails para o dito jornal. Você, caro único leitor desse humilde blog, se aquele seu curso superior que você tanto batalhou para ingressar fosse chamado de irrelevante, iria cagar pros bons modos e pro português e demosnstrar com todas as letras a sua indignação para aquele que disse tal coisa, não é mesmo?  Infelizmente o jornalista tem jornalista que não pode defender o próprio curso porque nem de diploma ele precisa pra escrever suas besteiras seus textos.

Pois bem o tal jornal alega ter recebido vários e-mails de alunos da Unifesp repletos de xingamentos, erros de português, sem o nome completo e que por isso se reservava ao direito de não publicá-los na Tribuna do Leitor. Tem toda a razão. No entanto separou meia página do tablóide para publicar versões editadas das mensagens com os endereços de e-mail pessoais dos autores embaixo. É a mesma coisa deu não chamar o Maxwell de viado e sair escrevendo o número de celular dele em tudo que é banheiro masculino embaixo da frase “Chupo direitinho”. Bastante coerente.

A desculpa do pasquim guarulhense (Não pasquim não. Aí é ofender o saudoso jornal do Jaguar) é a de que as mensagens “são representativos de um espírito de intolerância incompatível com um ambiente universitário verdadeiramente pluralista e democrático.” e que  “Por isso mesmo, julgou ser oportuno exibi-los ao julgamento de seus leitores.” Pronto, lá vem o jornal  apelar para a “pluralidade” e para a “democracia” para defender o seu direito de não dar o braço a torcer para a sociedade. Parece aqueles monstros de seriado japonês que quando tão perdendo a briga aumentam de tamanho e saem pisando em tudo que encontram pela frente. Da próxima vez amigo, que um jornalista um editor de jornal usar a “Ética” e  a “Pluralidade” para não reconhecer seus erros, ameaçe chamar o Daileon pra cima dele.

http://www.youtube.com/watch?v=FTTGrsBCwyg

<object width=”425″ height=”344″><param name=”movie” value=”http://www.youtube.com/v/FTTGrsBCwyg&hl=pt-br&fs=1&”></param><param name=”allowFullScreen” value=”true”></param><param name=”allowscriptaccess” value=”always”></param><embed src=”http://www.youtube.com/v/FTTGrsBCwyg&hl=pt-br&fs=1&” type=”application/x-shockwave-flash” allowscriptaccess=”always” allowfullscreen=”true” width=”425″ height=”344″></embed></object>

Você, caro único leitor pode conferir todos os textos relacionados a briga aqui e decidir se o jornal agiu certo ou não. Realmente há mensagens dos alunos que não condizem com o nível intelectual de um futuro filósofo ou pedagogo, mas há outros de extrema racionalidade e que não obtiveram tanto destaque por parte do jornal.

Esse texto do Arnaldo Branco também é sobre órgãos de imprensa que não dão o braço a torcer

17/03/2009

Lula, Obama e o pepino

Filed under: Uncategorized — opoderosochofer @ 19:28
Tags: , , , , , ,

Parece feijoada de pobre. Só tem orelha.

Parece feijoada de pobre. Só tem orelha.

A visita do nosso presidente ao presidente dos USA é sempre mote para a repetição de velhos clichês: “O primo pobre e o primo rico”, “O vira-lata e o cão de raça”, “O colonizado e o colonizador” dentre outros que abundam (sem trocadilho) na nossa imprensa durante essa ocasião.

Também pudera, o evento em si não tem nada de original. Os dois manés se encontram na Salão Oval, na frente de toda imprensa, conversam superficialmente sobre assuntos de comum interesse (até porque os acertos mesmo quem fazem são os seus Ministros das Relações Exteriores em encontros mais reservados), fazem umas piadinhas zégraça, a imprensa elege uma fala de um dos mandatários para servir de pauta para todos os jornais (a última foi a do “pepino” do Lula pro Obama que serviu de mote para uma tirada fodástica do Marco Luque), o presidente americano promete que vai vir ao Brasil sem falta e os dois trocam presentes.

Essa parte dos presentes é o que revela a quê que cada país dá mais valor. Segundo a Folha, a comitiva brasileira ofereceu pro negão um prisma de pedras preciosas tupiniquins. A comitiva americana retribuiu com uma “Constitution Box”, um exemplar da Constituição deles em uma caixa comemorativa.

Será que para eles, de fato, um monte de papel com registros de leis que eles dizem seguir há mais de 200 anos é mais importante que pedras preciosas da Amazônia? (lembrando que há pouco tempo atrás eles elegeram o Bush, que pegou essa mesma Constituição e usou como papel higiênico)

Para uma coisa parece certo que eles não dão valor: Nosso combustível 

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: